Pesquisa personalizada

Revolução Inglesa - Resumo de História

Relacionados: ,
Concurso Anatel - Nível Médio R$4800

A Revolução Inglesa - Resumo de História para o ENEM e Vestibulares.

Resumo sobre a Revolução Inglesa de História para Exercícios sobre a Inglaterra. Use em Trabalhos Escolares, Apresentações e Monografias.

Em 1215, a Inglaterra aprova a Magna Carta para que todas as decisões reais sejam aprovadas pelo parlamento. Desde o século XVI, sob o reinado dos Tudors, o parlamento inglês foi perdendo força e o reinado de Elizabeth I que durante 40 anos consulta o parlamento apenas 13 vezes. Embora autoritária, A Rainha Elizabeth I conduz a Inglaterra a um grande desenvolvimento econômico fortalecendo a burguesia.
Rainha Elizabeth I, Fotos e Imagens de Rainha Elizabeth da Inglaterra

Revolução Puritana


Houve o crescimento da fé Calvinista, também chamada de Puritana, entre os burgueses. Os puritanos defendiam uma igreja sem interferência do Catolicismo e do Estado. Entre os nobres, e com o apoio real, predominava a fé Anglicana. Os anglicanos defendiam a monarquia e eram fiéis ao rei.

A burguesia e gentry não desejavam a intervenção do rei na economia com O rei desejando poder absoluto entrou em choque com parlamento composto pela burguesia e o gentry.

O Parlamento obrigou Carlos I em 1628, a assinar a PETIÇÃO DE DIREITOS, que o proibia de taxar impostos sem consultar os parlamentares.

Em 1640, as disputas por poder entre nobreza e burguesia somadas às disputas religiosas entre Puritanos e Anglicanos, e ainda, o desrespeito dos monarcas, especificamente de Carlos I ao parlamento leva a Inglaterra a Guerra Civil. Os burgueses/puritanos defensores do parlamento vencem a guerra sob o comando de Oliver Cromwell, condenando o rei Carlos I à morte.

República de Oliver Cromwell

Oliver Cromwell, Fotos e Imagens de Oliver Cromwell
Em 1649, Cromwell assume o poder na Inglaterra. Cromwell fecha o parlamento PROCLAMA-SE LORD PROTECTOR AND HEAD OF STATE, concentrando em suas mãos todo o poder. Uma série de medidas são tomadas no governo de Cromwell visando fortalecer a burguesia e o poder mercantil inglês. As mercadorias que saíssem ou entrassem na Grã-Bretanha, só poderiam ser transportados em navios pertencentes aos ingleses. A medida acabou provocando uma guerra com a Holanda. A Inglaterra saiu vitoriosa tornando-se a maior potência naval do mundo.

A Ditadura pró-burguesia puritana ou calvinista tinha repressão a opositores externos (Escócia e Irlanda) e internos (Levellers – niveladores e Diggers – escavadores).

Em visita à Jamaica, Cromwell contrai Malária, vindo a falecer alguns meses depois. Seu filho Ricardo assume o poder, porém sem a força do pai renuncia em apenas um ano. Temendo que grupos radicais tomassem o poder, a burguesia lidera um movimento político que restaura a monarquia e leva ao poder Carlos II.

Entre 1960 e 1968 reinam Carlos II e Jaime II, todos os dois adeptos de práticas políticas absolutistas, desagradando a burguesia. Logo após houve a tentativa de restabelecer o absolutismo apoiado por Luís XIVl.

Em 1689 com a Revolução Gloriosa cujo Parlamento temeroso com a restituição do catolicismo oferece a coroa a Guilherme de Orange (HOL), casado com Maria Stuart, filha mais velha de Jaime II, que em troca, pedia o parlamento livre e a manutenção do anglicanismo.

Guilherme de Orange acata ao Bill of Rights e o Parlamento decidiria sobre impostos, garantia a propriedade privada, as liberdades individuais e divide o poder. Com isso acaba o absolutismo na Inglaterra e a Burguesia assume o poder por meio do parlamento - Monarquia Parlamentar - onde o Rei reina, mas não governa e implanta o liberalismo.

Vídeo Aulas para Concursos
Como Ser Aprovado em Concursos e Ganhar R$4000 reais por mês.


Bate Papo

Envie Oi Torpedos